sábado, 8 de setembro de 2012


Estou participando este ano, do “Curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas”

Esta ação formativa é promovida pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) do Ministério da Justiça em parceria com a Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC) e realizada pela Universidade de Brasília (UnB).

Já tive a oportunidade de fazer no ano passado, o Curso Prevenção às drogas para Conselheiros e Lideranças Comunitárias, como conselheira do COMAD (Conselho Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, de Criciúma/SC.

O curso tem 180 horas e tem como objetivo geral: “Promover a formação de profissionais das escolas públicas para atuarem coletivamente na prevenção do uso de drogas na escola”. O curso incentiva seus participantes, para que as escolas se organizem e se fortaleçam na promoção da saúde e na prevenção do uso de drogas integrando-se à rede de prevenção na comunidade.

Acesse: http://educadores.senad.gov.br/


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Crônica
No Dia da Pátria, tem patriotismo?
Publicada no Jornal A Tribuna em 04/09/2012

Rosilda Moroso 

Todos os anos, as cidades fazem o Desfile de 07 de setembro, pois é o Dia da Pátria. Esta data em que cada país tem a sua e muitos se orgulham disso. E no Brasil? Qual é o maior orgulho dos brasileiros?

Todos nós temos feito civismo de fato? Porque civismo são as atitudes e comportamentos que devemos manifestar todos os dias, na defesa de valores e práticas importantes para a vida em sociedade, não somente no desfile cívico!

E cidadania? As pessoas possuem seus direitos garantidos e lutam por uma vida com mais qualidade? Todos os brasileiros praticam seus deveres?

E neste país quem é patriota, no sentido da palavra?

A palavra patriotismo, que deriva de pátria, significa o amor e respeito que se tem pela terra natal. Este patriotismo pode ser manifestado pela valorização da cultura do país, suas belezas naturais e seus símbolos nacionais.

Quem sabe cantar ou escrever o hino nacional sem errar? Muita gente ao cantar o hino, troca as letras e inverte as estrofes, talvez por falta de hábito desta atividade na escola ou porque nunca foi pra escola e se foi esqueceu tudo que aprendeu.

Existe uma lei desta obrigatoriedade do canto do hino nas escolas todos os dias, mas os alunos não respeitam, porque respeito se aprende em casa e não na escola. A escola prefere não fazer esta atividade para não ter que educar muitos alunos deseducados.

Para que dizer para os alunos tirarem o boné na hora do hino? Eles acham que o boné faz parte do uniforme, mas ninguém é uniforme nestes tempos de democracia. Confunde-se diversidade com malandragem muitas vezes.

E a politicagem em tempos de eleição? Promessas e mais promessas. Todos os políticos têm que fazer melhorias para a população e isto não é obrigação é a sua função. E o eleitor, que aproveita esta época para tirar vantagem?

Todos querem garantir um lugar ao sol, e na pátria? O tal do jeitinho brasileiro, de “quem pode mais chora menos” é o lema atual.

E tem gente indignada porque não vai ter desfile cívico na sua cidade. Quem se indigna com este fato, faz algo pela sua sociedade, é patriota todos os dias?

Parafraseando Ruy Barbosa: “A pátria não é ninguém: são todos; e cada qual tem no seio dela o mesmo direito à idéia, à palavra, à associação”.

As pessoas têm que entender que o Brasil está mudando, que os políticos corruptos estão pagando pelo roubo do dinheiro público, que a lei da responsabilidade fiscal e da ficha limpa é real, e uma conquista do povo brasileiro.

Depois de tantos anos de ditadura e descaso com os brasileiros, estamos vendo uma luz no fim do túnel, apagadinha ainda, mais que pode se acender e se transformar num clarão.

Só teremos cidadania se todos os brasileiros forem cidadãos comprometidos com a educação das nossas crianças, com a aplicação dos recursos corretos para a saúde e saneamento básico.

“Todo homem é um ser político”, dizia Aristóteles, porque política é a maneira de administrar a vida. O Grito do Ipiranga foi um ato político do império, as “Diretas Já” foi um ato político do povo, então, se vivemos da política diariamente, vamos fazer com que ela melhore a vida de todos os brasileiros, com civismo e cidadania.

E quando alguns brasileiros, entenderem que voto não se vende nem se compra, teremos patriotismo todos os dias.