sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Lançamento de livro

Livro: "Siderópolis uma cidade boa para se viver"

Livros no lançamento

O livro foi resultado de um trabalho de 2 anos, do qual me orgulho de ter participado na sua elaboração com autora e organizadora. O livro tem capa dura e contém 404 páginas. O lançamento do livro aconteceu em um evento comemorativo no dia 19/12/2012 mesma data de 54 anos de emancipação político-administrativa da cidade.

Introdução do livro

O presente livro se destina ao conhecimento da história de nossa cidade, aos profissionais da área da educação, estudantes e todos aqueles que pretendem conhecer e identificar os aspectos histórico-culturais, geográficos, políticos, econômicos e sociais de Siderópolis.

Este livro é um trabalho literário coletivo, que teve a participação de profissionais e educadores de diversas áreas do conhecimento, os quais se reuniram para dar vida a esta obra, que retrata temas da colonização e formação de nossa cidade, com informações atualizadas, realizadas por meio de pesquisa de campo, entrevistas e leitura de gêneros literários diversos, utilizando-se também das novas tecnologias da informação.

Por meio dos textos e visualização de gravuras e fotos, vamos conhecer a cultura, os valores e os costumes do passado, principalmente para entender o presente e projetar mudanças para o futuro.

Temos certeza de que chegamos a um livro que reúne o melhor de todas as contribuições, as quais somamos com a história oral e transformamos em história escrita para ficar como registro para as futuras gerações.

Pretendemos com sua leitura não apenas ampliar o conhecimento, mas também dedica-lo a todos aqueles que participaram ou participam da história e aos que ajudam a construir nossa querida cidade, todos os dias fazendo se Siderópolis sempre uma cidade boa para se viver. Os autores.
Autores do livro

Fotos do evento

Rosilda Moroso (Sissa) e esposo Ademir






quinta-feira, 18 de outubro de 2012



Estou participando do curso online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil que tem como objetivo aprimorar os conhecimentos sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o importante papel da escola nas ações de combate ao trabalho infantil, por meio de ações no ambiente escolar e na comunidade.


No ano passado participei do Curso Eca na Escola.
Com este curso aprimorei os conhecimentos em relação ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e aprendi como utilizá-lo nas minhas práticas cotidianas e na escola!


Estes cursos são feitos em pareceira com a Fundação Pró-Menino.
Mais informações acesse
http://www.promenino.org.br/



Curso no Programa Formação Pela Escola



Estou participando do Curso Programas de Transporte Escolar do Programa Formação Pela Escola.
Já participei dos cursos Competência Básica, PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola) e FUNDEB em 2010.  

O programa tem como propósito contribuir para a melhoria da qualidade da gestão  e fortalecimento do controle social dos recursos públicos destinados à educação.
O programa consiste na oferta de cursos de capacitação, em que os participantes conhecem os detalhes da execução das ações e programas da autarquia, como a concepção, as diretrizes, os principais objetivos, os agentes envolvidos, a operacionalização, a prestação de contas e os mecanismos de controle social. Com isso, busca-se estimular a participação da sociedade nessas ações.



Mais informações sobre este programa acesse
http://www.fnde.gov.br/index.php/programas-formacao-pela-escola


sábado, 8 de setembro de 2012


Estou participando este ano, do “Curso de Prevenção do Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas”

Esta ação formativa é promovida pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) do Ministério da Justiça em parceria com a Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC) e realizada pela Universidade de Brasília (UnB).

Já tive a oportunidade de fazer no ano passado, o Curso Prevenção às drogas para Conselheiros e Lideranças Comunitárias, como conselheira do COMAD (Conselho Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, de Criciúma/SC.

O curso tem 180 horas e tem como objetivo geral: “Promover a formação de profissionais das escolas públicas para atuarem coletivamente na prevenção do uso de drogas na escola”. O curso incentiva seus participantes, para que as escolas se organizem e se fortaleçam na promoção da saúde e na prevenção do uso de drogas integrando-se à rede de prevenção na comunidade.

Acesse: http://educadores.senad.gov.br/


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Crônica
No Dia da Pátria, tem patriotismo?
Publicada no Jornal A Tribuna em 04/09/2012

Rosilda Moroso 

Todos os anos, as cidades fazem o Desfile de 07 de setembro, pois é o Dia da Pátria. Esta data em que cada país tem a sua e muitos se orgulham disso. E no Brasil? Qual é o maior orgulho dos brasileiros?

Todos nós temos feito civismo de fato? Porque civismo são as atitudes e comportamentos que devemos manifestar todos os dias, na defesa de valores e práticas importantes para a vida em sociedade, não somente no desfile cívico!

E cidadania? As pessoas possuem seus direitos garantidos e lutam por uma vida com mais qualidade? Todos os brasileiros praticam seus deveres?

E neste país quem é patriota, no sentido da palavra?

A palavra patriotismo, que deriva de pátria, significa o amor e respeito que se tem pela terra natal. Este patriotismo pode ser manifestado pela valorização da cultura do país, suas belezas naturais e seus símbolos nacionais.

Quem sabe cantar ou escrever o hino nacional sem errar? Muita gente ao cantar o hino, troca as letras e inverte as estrofes, talvez por falta de hábito desta atividade na escola ou porque nunca foi pra escola e se foi esqueceu tudo que aprendeu.

Existe uma lei desta obrigatoriedade do canto do hino nas escolas todos os dias, mas os alunos não respeitam, porque respeito se aprende em casa e não na escola. A escola prefere não fazer esta atividade para não ter que educar muitos alunos deseducados.

Para que dizer para os alunos tirarem o boné na hora do hino? Eles acham que o boné faz parte do uniforme, mas ninguém é uniforme nestes tempos de democracia. Confunde-se diversidade com malandragem muitas vezes.

E a politicagem em tempos de eleição? Promessas e mais promessas. Todos os políticos têm que fazer melhorias para a população e isto não é obrigação é a sua função. E o eleitor, que aproveita esta época para tirar vantagem?

Todos querem garantir um lugar ao sol, e na pátria? O tal do jeitinho brasileiro, de “quem pode mais chora menos” é o lema atual.

E tem gente indignada porque não vai ter desfile cívico na sua cidade. Quem se indigna com este fato, faz algo pela sua sociedade, é patriota todos os dias?

Parafraseando Ruy Barbosa: “A pátria não é ninguém: são todos; e cada qual tem no seio dela o mesmo direito à idéia, à palavra, à associação”.

As pessoas têm que entender que o Brasil está mudando, que os políticos corruptos estão pagando pelo roubo do dinheiro público, que a lei da responsabilidade fiscal e da ficha limpa é real, e uma conquista do povo brasileiro.

Depois de tantos anos de ditadura e descaso com os brasileiros, estamos vendo uma luz no fim do túnel, apagadinha ainda, mais que pode se acender e se transformar num clarão.

Só teremos cidadania se todos os brasileiros forem cidadãos comprometidos com a educação das nossas crianças, com a aplicação dos recursos corretos para a saúde e saneamento básico.

“Todo homem é um ser político”, dizia Aristóteles, porque política é a maneira de administrar a vida. O Grito do Ipiranga foi um ato político do império, as “Diretas Já” foi um ato político do povo, então, se vivemos da política diariamente, vamos fazer com que ela melhore a vida de todos os brasileiros, com civismo e cidadania.

E quando alguns brasileiros, entenderem que voto não se vende nem se compra, teremos patriotismo todos os dias.



quarta-feira, 11 de julho de 2012

COMEÇOU A CAMPANHA...CONTO COM SEU APOIO

LEMA: “ARTICULAÇÃO SAÚDE E EDUCAÇÃO”

Sou Rosilda Mara Rodrigues Moroso (Sissa) 46 anos, filha de Ilda Barbosa e José Valmor Rodrigues, mãe de Luana (28) e Júlia (9) e esposa de Ademir Moroso. Resido na comunidade de Monte Negro desde 2000. Sou Formada em Pedagogia e especialista em Psicopedagogia. Trabalho na educação há 22 anos como professora e coordenadora pedagógica. Adquiri experiência nas diversas redes de ensino, atuando no Ensino Fundamental (séries iniciais na Vila), Educação de Jovens e Adultos (CENEC), Ensino Médio (SATC), Curso de Magistério (Patrocínio) e Curso de Pedagogia (Uniasselvi), sempre com foco na formação de professores.

Iniciei minha luta por democracia e justiça social nos anos 80 no Grupo de Jovens JUNSA e no Movimento Ecológico. Atuei como presidente da Pastoral da Juventude de Siderópolis, por cinco anos. Participei da Pastoral da Liturgia e da Pastoral Catequética, como catequista. Fui militante do movimento estudantil, eleita como presidente do Centro Acadêmico de Pedagogia na UNESC, de 90 a 93.

Optei pela filiação político-partidária no Partido “Democrata”, desde a sua fundação a mais de 20 anos.

Atualmente faço parte do NEPRE (Núcleo de Educação e Prevenção) da 21ª Gered. Sou conselheira no Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas (COMAD de Criciúma) desde 2009. Faço parte da diretoria da Associação de Pais e Professores da E.E.B.M. Jorge Bif. Sou escritora e membro da Academia de Letras e Artes de Siderópolis (ALASI), com a cadeira nº 10, atuando como secretária na diretoria.

Neste ano, me candidatei a uma vaga de vereadora na Câmara Municipal, como o nº 25011, com a Coligação “Mais por Siderópolis” fim de contribuir para que Siderópolis continue sendo uma cidade boa para se viver.

Portanto, peço seu voto, para que a “Educação e Prevenção” seja uma bandeira de todos nós, para uma educação e saúde de qualidade para os sideropolitanos.

Proposta de trabalho:


Realizar projetos na área de Saúde e Prevenção nas escolas, privilegiando para a articulação de políticas públicas, voltadas para adolescentes e jovens, mediante a participação dos sujeitos desse processo: estudante, famílias, profissionais da educação e saúde.


Os programas deverão incluir, temas como: Uso indevido de drogas, Redução de Danos, Sexualidade e reprodução humana, DST/Aids, Bullying e Violências, sempre numa perspectiva de saúde e prevenção, integrando atividades culturais e de lazer, como teatro, música, dança e esporte.






segunda-feira, 28 de maio de 2012

Artigo: A Ecologia Humana...


A ecologia humana desde os tempos da colonização

Artigo publicado no Jornal Gazeta Popular (Siderópolis/SC) em maio de 2012.

Para escrever sobre este tema tão atual, relembraremos a história da relação do homem com o meio ambiente, desde os primeiros dias da formação da nossa cidade.

Quando a 121 anos chegavam em Nova Belluno, os primeiros imigrantes italianos, a primeira preocupação era se as terras que ocupariam, tinha um rio. A água foi o elemento importante para o progresso de todas as civilizações, principalmente para a sobrevivência do seu povo.

Em seguida, a relação dos imigrantes com os animais selvagens e com os índios não foram muito amigáveis, pois cada um querendo ocupar o mesmo espaço ficaria difícil, começou então a matança dos animais e de seres humanos, diminuindo assim mais seres vivos nas nossas florestas, sejam animais, indígenas ou imigrantes.

Para viverem com mais qualidade, na cidade foi acontecendo o desmatamento, cada comunidade foi criando sua cultura, com sua forma de se comunicar, com sua fé e seus valores morais. Casas foram sendo levantadas, igrejas construídas em forma de multirão e as pequenas empresas foram aparecendo aos poucos, com ferrarias, atafonas, moinhos, serraria, marcenaria, entre outros que contribuíram para o progresso da cidade.

Passados meio século de vida em Belluno, veio às primeiras mineradoras contribuir para a questão econômica da cidade, para mudar o nome se transformando agora em cidade siderúrgica, explorando o carvão e o trabalho humano. E continuavam poluindo toda forma de vida, através da exploração inadequada, sem legislação ambiental e prejudicando a saúde do meio ambiente e dos operários.

E assim a cidade foi se formando, muitos foram chegando de todo lugar do país, se misturando com os imigrantes, que até então trabalhavam na lavoura, cada um com sua etnia, seus problemas e vontade de vencer na vida, através do trabalho nas empresas que elevariam ao progresso financeiro. As famílias foram se alojando por toda parte em casas de barro, cortiços ou em vilas residenciais. Alguns foram embora, porque venderam suas terras ou porque não agüentaram a vida e o trabalho na cidade minerada.

Os mineradores e operários com o mesmo objetivo: explorar o minério, fazer riquezas, claro que a fatia não era repartida igualmente e muitos deles sem pensar na poluição causada pela mineração a céu aberto com as “Marions” e com as minas subterrâneas.

A mão-de-obra podia ser infantil ou juvenil, todos podiam trabalhar, até as mulheres “escolhedeiras de carvão” agora tinham seu valor, trabalhando nas pardiolas, espalhadas pela cidade.

Mas, como tudo que vem da natureza e que não é cuidada pode acabar, as mineradoras foram acabando com a exploração mineral e a consciência ambiental foi surgindo, no fim dos anos 80, assim como o término do governo militar no país.

Estes dois fatos foram surgindo, após muitas reflexões, muitas lutas, o povo foi vendo os fatos, fazendo a luta de classe e a busca pela preservação ambiental, ou seja, do resto que sobrou da cidade.

A relação do homem com a ecologia foi dando a “Ecologia Humana”, fato inseparável na vida de todos, pois assim como todos precisam da água, precisamos também do ar, do solo, da fauna e da flora e de todos os bens naturais para vivermos.

A ecologia humana tem haver com a ética humana e o respeito pela diversidade ambiental e étnica. Teremos mais centenas de anos pela frente, temos que pensar nas próximas gerações, que com certeza devem ser bem melhores que as anteriores.

Tudo isto requer a busca da simplicidade da vida, ou seja, educação apropriada, alimentação equilibrada, informação adequada e seletiva, moradia confortável, saúde consciente, contemplação da natureza e da beleza, e alegria de viver numa relação harmônica, inteligente e compassiva de ser humano para com ser humano.















31 de Maio - Dia Mundial sem Tabaco


Para combater o hábito de fumar e divulgar informações sobre os males causados pelo cigarro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) institui, desde 1987, o 31 de maio como Dia Mundial Sem Tabaco. Os números são alarmantes. A cada hora, 10 pessoas morrem por doenças relacionadas ao cigarro no Brasil. Ao ano esse número chega a 200 mil mortos por conta do cigarro, no mundo sobe para 4 milhões de vítimas, ou seja, uma a cada 8 segundos.



domingo, 22 de abril de 2012

O mês de Abril

O mês de abril e suas datas comemorativas


No mes de abril temos várias datas comemorativas no calendário brasileiro, a começar pelo primeio de abril, “Dia da Mentira”. Esta data teve início com uma mentira divulgando o falecimento de Dom Pedro, num periódico em Minas Gerais, este fato foi desmentido no dia seguinte.


No dia 7 comemora-se o dia do Jornalismo, o jornalista é o narrador do seu tempo que deve ser um defensor  da liberdade de expressão da sociedade e da democracia. Escrever sempre a verdade e não um fato mentiroso como a morte do imperador. Neste dia comemoramos o dia mundial da saúde, tema da Campanha da Fraternidade deste ano, a CNBB alega que a saúde deveria ser uma preocupação primordial de todos, principalmente dos governantes que devem zelar pelo bem estar da população.



O dia dos jovens é comemorado no dia 13, e segundo a constituição federal todos os jovens têm o direito de receber do Estado, saúde, educação, moradia, oportunidade de trabalhos, direitos estes não adquiridos, pelo fato de ter tantos jovens nas drogas, marginalizados e sem apoio dos governantes e da sociedade. Nesta mesma data, comemora-se o dia do Hino Nacional Brasileiro, que deveria ser um instrumento de homenagem à nação e lembrado sempre nas escolas e em eventos cívicos, mas muitas vezes é só cantado no Dia da Pátria. Existe uma lei para que o hino seja executado nas escolas uma vez por semana, será que acontece? Quem fiscaliza? No dia 15 deveríamos refletir sobre o dia do solo, que dá o alimento, que fixa nossa residência e é o chão que nós pisamos, mas tem sido prejudicado pelos moradores desta “pátria mãe gentil”.


Dia 18 de abril é o dia do livro infantil, a leitura deveria ser obrigatória para todos, porque é o meio que veicula a cultura, e “o grau de civilização de um povo pode ser medido pela quantidade e qualidade dos livros que lê”. Esta data surgiu para ser comemorado também o dia do nascimento do escritor Monteiro Lobato, que além de escritor era um grande conhecedor dos problemas brasileiros, o seu “Jeca Tatu” não foi à toda, uma frase dele nos faz refletir: “Todos os nossos males provém de uma causa única: pobreza, anemia econômica. Vou além: miséria...”.


Parafraseando a canção de Baby do Brasil: “Todo dia era dia do índio, mas agora ele só tem o dia 19 de abril” esta data é comemorada no Brasil há 69 anos, desde que foi instituída por Getúlio Vargas. Conforme IBGE, Em 1.500 época em que os portugueses chegaram ao Brasil estimava-se que existiam cerca de 6 milhões de índios. De lá pra cá, com a matança, escravismo e catequização forçada, tivemos uma diminuição absurda da população indígena no Brasil. Após 512 anos, os índios ainda estão lutando por seu direito à terra que sempre foi sua.



domingo, 8 de abril de 2012

O menor casal do mundo é separado


Exemplo de superação e amor


Às vezes reclamamos da vida, porque temos dor nas costas, nas pernas, nos braços e outras dores que se tomarmos um remédio simples, passa a dor. Às vezes nos sentimos tristes por qualquer coisa, muitas vezes coisas banais e reclamamos da vida, por hábito ou por não ter o que fazer. Muitas vezes preferimos andar de carro, porque a pé demora e temos preguiça de usar as pernas perfeitas que temos, mas o joelho dói, sempre arranjamos desculpas para não usar nosso corpo.


Mas tem pessoas, que Deus colocou no mundo, para mostrar pra gente que somos perfeitos e que tem pessoas que sofrem porque tem certas limitações, faltam membros, são mudos, são cegos, são anões e por causa disso vivem a vida como se fosse o último dia e superam todos os problemas com muito mais amor e resignação.


Conheci um casal que tinha todos os problemas de locomoção possível, anões, que tiveram que viver numa casa adaptada para eles, poucos podem ter este privilégio, mas este casal era especial, ele com 83 centímetros e ela com 75. Andavam com dificuldades, no começo do namoro, andavam de muletas, depois de bicicleta infantil e hoje estavam de cadeira de roda motorizada. Sempre buscando ajuda para suas limitações, mas sempre sorrindo e conquistando a todos, fazendo novos amigos e recebendo bem os amigos antigos.


Este casal é a prova de superação e amor mais linda que conheci. Participei, organizei e fui testemunha deste casamento, que aconteceu de forma diferente num acampamento de retiro no carnaval (RACA) que na bíblia quer dizer “louco”, éramos sim loucos de amor por Deus, acreditávamos no amor e na vida em comunidade.


Sempre que podia íamos visitar estes amigos queridos, em Capão da Canoa, em Laranjinha e ultimamente em Cocal do Sul.


Mas nesta Páscoa, o casal foi desfeito, pela vontade de Deus.


Um dos menores homens do Brasil, mas com um coração enorme, o anão Jair Ronchi, de 49 anos, faleceu por volta das 15 horas, no Hospital São José em Criciúma. Jairzinho nosso amigo, não resistiu a uma insuficiência respiratória e morreu. O velório foi realizado na Capela Mortuária de Cocal do Sul e o sepultamento aconteceu às 16 horas, no cemitério da cidade.


Jair morava com a esposa Giane e eram considerados o menor casal do Estado e um dos menores do país.


A Giane faz faculdade de Artes Visuais, mesmo com todas suas limitações, está sempre sorrindo e dando apoio pra todos que precisam.


Todos somos seres ilimitados, mas somos nós que impomos nossos próprios limites. Lembramos sempre do exemplo destes seres tão pequenos, mas com tanto exemplo de amor e superação para nossa vida.



domingo, 12 de fevereiro de 2012

Curso Fortalecimento dos Conselhos Escolares

Estou participando deste programa, que tem como função contribuir para que a escola cumpra sua função de educar, construir a democracia e a cidadania participativa.
O Programa de Fortalecimento dos Conselhos Escolares, tem como objetivo contribuir para a formação de agentes que possam efetivamente contribuir para que o Conselho Escolar cumpra suas funções na construção de uma educação, com inclusão social.
O Conselho Escolar é uma entidade democrática importante para que a escola contribua na construção da democracia, construindo a unidade na diversidade.

"Ao participar da luta pela superação das desigualdades e das injustiças, da violência e da depredação da natureza, construímos a qualidade de vida".

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Violência doméstica


Neste domingo 15/01/2012, foi enterrada às dezesseis horas Roseli Gervin (47 anos), Filha do “Alemão e Dona Mariquinha”, como são conhecidos. Dona Mariquinha (benzedeira), que já faleceu à 12 anos. Rose deixou dois filhos (Cristiane e Juninho) e um neto de um mês.

A Rose (minha amiga) era uma pessoa sempre alegre, pra frente, mesmo doente estava sempre sorrindo e feliz. No sábado à noite, chegou em casa do trabalho por volta das vinte e duas horas e surpreendeu seu ex-genro, agredindo com socos sua filha (grávida de dois meses) e com uma faca na mão. Como mãe, que defende sua filha de qualquer jeito, ela se meteu entre os dois e também foi agredida, recebendo facadas no pescoço, atingindo veias e artérias que lhe causou hemorragia, veio a falecer no chão de sua casa no bairro São Marcos em Criciúma.

O adolescente tem apenas 16 anos e foi preso na casa da sua mãe, horas depois, mas como é adolescente e a lei protege de alguma forma, este “ato infracional” tem uma punição severa, mas por pouco tempo. No caso de um adulto, se não for preso em flagrante, pode se apresentar à polícia dias depois de um assassinato e responder o processo em liberdade, já o adolescente vai para o CIP, onde fica preso para refletir sobre seu ato, depois seu caso pode ser arquivado e sua ficha pode ficar limpa!!!

Mas não em caso de assassinato! Que lei é esta? Com 16 anos pode votar, mas não pode dirigir e nem responder judicialmente por um crime?

Que legisladores que temos neste país? Que fazem as leis e aprovam à revelia, sem compreender as suas conseqüências? Somente eleitores menores são importantes?

Nosso país tem muitas leis, que não são pesquisadas antes nem pelo poder judiciário, que tem que dar o julgamento, sem fugir das leis, que muitas vezes não concorda. Assim como a lei do usuário de drogas, quem não é grande traficante, mas trafica para sustentar seu vício, pode ficar solto. E agora em caso de crime? O sujeito paga fiança e pode ir dormir em sua casa, tranqüilo, como se não tivesse feito nada de errado! E a Lei Maria da Penha? Só serve pra punir? E pra educar, que lei usamos? Porque Não podemos bater, nem dar palmadas, daqui pra frente! Nós não batemos em adolescentes, mas eles podem matar?

Onde estão os valores cristãos? Familiar? A moral e os bons costumes? Quem são nossos legisladores em que votamos? Analfabetos? Ou apenas corruptos? Será que o crime compensa?

E a nossa minha amiga Rose? Descanse em Paz! Mas nós não! Temos que rever quem está errado neste país! Assim não dá pra continuar, a justiça se faz de cega diante de leis que não enxergam!!!